12 de maio de 2017

Romantização de relacionamentos abusivos

     Olá, tudo bem com vocês? Depois de muito tempo sem postar, hoje resolvi tratar de um tema delicado e necessário, a romantização de relacionamentos abusivos, algo que é muito comum, principalmente através da mídia sensacionalista, que, como vocês vão ver nos exemplos que vou citar logo mais, acaba tratando assuntos de violência contra a mulher e feminicídio como atos desesperados de homens apaixonados por suas parceiras e não como um ato de violência, que é como deveria ser tratado. Isso acaba influenciando as mulheres a concordarem com as abordagens de seus parceiros por acharem que se trata de algo natural, já que é tão naturalizado por todo mundo como um ato de amor..

Romantização de relacionamentos abusivos


     Um caso bem comum de romantização pela mídia e que acabou infelizmente com uma vida foi o caso Eloá, ficou extremamente famoso e foram dias e dias sendo relatado ao vivo, como um filme de suspense, um teatro de horrores que víamos 24 horas por dia, a personagem principal? Uma pessoa real, Eloá, 15 anos, uma vida toda pela frente, uma menina, uma criança vítima da busca incessante da mídia por telespectadores, eles também mataram Eloá naquele dia, para quem não conhece a história, Eloá foi mantida refém por mais de 100 horas por seu ex namorando Lindemberg, inconformado com o fim do relacionamento, ele invadiu o apartamento da jovem, ao qual estava ela e sua amiga Nayara, que foi liberada pouco tempo depois, foram mais de 100 horas de um espetáculo de terror relatado pelos grandes veículos da mídia 24 horas por dia, cada novidade, cada contato, tudo, a mídia sabia quase que antes que a própria polícia.
      A mídia foi crucial no caso Eloá pois seu posicionamento ridículo sobre a situação com certeza colaborou para o fim que a jovem teve, Lindemberg o tempo todo foi tratado como um homem apaixonado, um rapaz trabalhador, sem passagens, apenas alguém que perdeu a cabeça por amar demais, a todo tempo a mídia lhe dava total apoio e coragem para prosseguir com o sequestro, justificando os seus atos como atos de um rapaz apaixonado. Algo que foi extremamente absurdo foi a conversa que um repórter teve com Lindemberg que foi passado como reportagem épica em um grande veículo de comunicação, onde o repórter o tempo todo falava para ele se acalmar, ficar tranquilo, e ele repetindo, eu to frio, eu to calmo, e o repórter repetia o mesmo script.      Em nenhum momento Lindemberg foi tratado como o criminoso que era, ele virou a atração de todos os canais e sabia disso, o que deu a força e a razão que ele precisava para fazer o que fez, no dia 18 de outubro, a vida de Eloá chegou ao precoce fim, ela morreu com um tiro na cabeça, e teve seus orgãos doados, foi santificada, virou exemplo, exemplo de que? Para todos Eloá virou um anjo, uma própria santa, mas eu lhe garanto, Eloá não queria ser santa, Eloá queria viver, e isso foi lhe tirado.



Imagem abaixo do documentário feito sobre a mídia sensacionalista e como isso contribuiu para a morte de Eloá Cristina, link AQUI
      
     O que podemos aprender com este caso é que a mídia influencia veementemente nas decisões de qualquer ser humano, Lindemberg só continuou porque sabia que era ovacionado, aplaudido, justificado, ele sentia que estava certo e isso o fez fazer o que fez, quem sabe se a mídia tivesse o tratado como bandido e não como mocinho Eloá ainda estivesse viva hoje.
     E isso acontece muito sabia? Não precisamos da mídia para isso, basta olhar para o lado, a todo momento atitudes misóginas, machistas e agressivas são tratadas como atos de amor, como "ciuminho bobo", e isso transmite ao agressor coragem e certeza de que o que ele faz está completamente correto e que as mulheres que são as loucas da história, porque tudo que eles fazem é por puro amor, ele te protege quando não te deixa sair com sua amiga de infância, ele te ama quando te puxa pelo cabelo e diz que você vai fazer o que ele mandar, ele te cuida quando não deixa você usar um batom de "puta", é isso que você ouve por aí, basta dar uma volta e tirar a prova, muita gente evoluiu sim, não tem mais esse tipo de pensamento besta, mas muita gente ainda faz a maldita romantização de relacionamento abusivo, romantiza tudo, diz que a mulher é a exagerada e que o homem só a quer proteger, nos tratam como bonecas indefesas que não sabem se virar, que dependem de homem até para decidir uma roupa para sair, isso é romantizar, é dizer que tudo que o homem faz é justificável, quer dizer que eles vão dar razão a ele, quando ele te bater vão dar razão a ele, quando você reclamar é porque não sabe o homem que tem em casa, quando denunciar tá jogando sua vida fora, quando morrer...quando morrer é porque deu motivo!
      Temos que parar de romantizar relacionamentos abusivos, temos que parar de dizer que é amor, que é cuidado, quem ama protege, não agride, quem tem cuidado se importa, não te trata como lixo, parem de nos dizer que devemos nos calar, que devemos aceitar, porque é isso que merecemos, nós merecemos mais, nós merecemos viver, ao contrário de Eloá, eu ainda estou viva, e vou lutar por isso, vou lutar para que uma sociedade não diga que a morte de uma mulher foi por sua própria culpa, vou lutar para que quando um homem mate a mãe de seu filho e jogue seu corpo para os cães não seja solto e tratado como herói, vou lutar para que nenhuma mulher se submeta a nenhum tipo de opressão, vou lutar para que o amor seja amor, que seja o carinho, cuidado, não o assassinato, vou lutar por uma mídia que não julgue a mulher e afague o agressor, precisamos de um país justo, que trate um assassinato como assassinato e não como um louco apaixonado, amor não mata!

Romantização de relacionamentos abusivos

     A romantização de relacionamentos abusivos precisa acabar, ela precisa ser combatida, não é fofo você não poder sair, viver, não é amor quando ele te impede de viver, não é cuidado quando ele tem a senha de todas as suas redes sociais por "precaução", quem ama cuida, quem ama confia, quem ama não agride, quem ama te protege, quem ama não te dá medo, isso não é normal, sonho grandemente com o dia em que os grandes canais de televisão aberta parem de nos julgar e comecem a nos proteger, entendam que não é crime passional, não é amor, não é paixão, é ódio, é raiva, é rancor, é morte, é uma vida, não é uma loucura de um homem apaixonado, é um assassino, assassinos são assassinos e nada mais, chega de romantizar!.
     Esse foi o post de hoje, espero que tenham gostado e peço desculpas pelo atraso, acredito que um post de qualidade e demorado vale mais que um blog atualizado diariamente com conteúdo ruim e sem sentido.. Não esqueçam de compartilhar o post se gostarem e comentarem aqui embaixo o que acharem, seguir o blog é uma força enorme que você me dá para continuar viu? Então até a próxima, beijos 💓


8 comentários:

  1. Concordo em tudo que foi dito, só quem já viveu um relacionamento abusivo sabe como isso deixa marcas, e o pior é que na maioria das vezes a própria pessoa que sofre o abuso não entende a gravidade de achar que as atitudes do companheiro é "por amor." Atitudes essas que são aclamadas em novelas, filmes, livros como normal e habitual da vida a dois.
    http://www.diferentesou.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Super concordo com você. Muitos acham "lindo" a briga atoa por ciúmes bobo, mas não, é algo sério, É super abusivo e pode por a vida em risco, hoje em dia os casais estão cada vez mais criando medo entre si do que amor.. e quando se cria medo esse relacionamento fica cada vez mais perigoso. Lutemos pela liberdade de ser feliz! Sucesso

    ResponderExcluir
  3. Não é amor quando você vive uma prisão física e mental, simplesmente amei a essa frase e o texto também parabéns por abordar esse tema!

    ResponderExcluir
  4. Que texto lindo e necessário! Obrigado por falar sobre esse assunto e ajudar mais pessoas a entender sobre isso. A violência não é bem-vinda não importa o jeito que for. Post muito bem feito produzido, parabéns.

    ResponderExcluir
  5. Legal.. pena que eu sou anti feminista, tenho uma visão muito diferente a respeito do ´´machismo´´

    ResponderExcluir
  6. Realmente o assunto q vc abordou é necessário e pouco falado. O Brasil precisa se ligar que mulheres não são feitas para serem dominadas e sim respeitadas. Parabéns pelo post e espero que mais posts como esse sejam criados.

    ResponderExcluir
  7. Eu lembro do caso da Eloa. Foi horrível ver tudo aquilo sendo retratado como algo que se faz por amor. Gente, quando você ama alguém, o que mais interessa a você é a felicidade e o bem estar da outra pessoa.

    Vidas em Preto e Branco

    ResponderExcluir
  8. Concordo muito com vc, já vivi relacionamentos assim e quando me libertei foi muito melhor! Parabéns por abordar esse tema!

    ResponderExcluir

Gostou do post? Não deixe de comentar o que achou, sua participação é muito importante para mim!
* Comentários ofensivos não serão aceitos, coloque educadamente o que não gostou no post que reavaliarei.
* É permitido colocar o link de seu blog no fim de todas as postagens, mas divulgação de trabalho não será aceito, como por exemplo, divulgação de trabalhos com midia kit, banners e etc.
No mais é isso, adoro responder comentários e interagir, comentem a vontade!